23º SINAPE - Simpósio Nacional de Probabilidade e Estatística

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EFEITOS DA SEGREGAÇAO E DESIGUALDADE DE RENDA NA MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS NO BRASIL

Resumo

Introdução: Estudos comprovam que as condições de saúde dos indivíduos são influenciadas pela diferença no acesso a serviços sociais como educação, habitação, alimentação e distribuição de renda. A análise da associação entre segregação e/ou desigualdade de renda e mortalidade vem crescendo nos últimos anos. O conhecimento dessa relação é essencial para se compreender as condições de saúde da população.
Objetivo: Este artigo analisou a associação entre as razões de mortalidade padronizadas por causas externas (RMP_EXT) e a segregação de renda, medida a partir do Neighborhood Sorting Index (NSI) e o índice de Gini, nas regiões metropolitanas e municípios com mais de 100 mil habitantes do Brasil nos anos de 2000 e 2010.
Métodos: Os fatores socioeconômicos deste trabalho foram estimados a partir dos dados dos Censos Demográficos 2000 e 2010, utilizando os microdados da amostra, disponíveis apenas na sala de acesso a dados restritos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por necessidade de identificação do setor censitário. As RMP_EXT foram estimadas para 2001 e 2011, com informações constantes no SIM/DATASUS. Os efeitos do NSI e do índice de Gini foram estimados em modelos de Poisson e modelos aditivos generalizados de Poisson.
Resultados: NSI foi fator de risco para a RMP_EXT, cujos modelos contavam somente com o NSI. Ao incorporar o Gini e a renda per capita, o efeito foi atenuado ou não significativo. Esse efeito de risco do NSI foi mais presente em 2010 do que em 2000. Com relação ao efeito do índice de Gini, nota-se que ele é fator de risco para a morte por todas causas externas, em ambos os períodos. Entretanto, o efeito do Gini na mortalidade diminuiu entre os anos de 2000 e 2010.
Conclusão: Tanto o NSI quanto o índice de Gini têm efeitos na mortalidade, mas a relação do Gini com a mortalidade é mais consistente do que a do NSI. Além disso, o efeito do NSI se intensificou e o do Gini enfraqueceu no período entre 2000 e 2010.

Palavras-chave

Segregação de renda. Mortalidade por causas externas. Índice de Gini. Modelo de Poisson

Área

Estatística Aplicada em Ciências Médicas, Saúde e Meio Ambiente

Autores

Maria Beatriz Assunção Mendes Cunha, Antônio Carlos Monteiro Ponce De Leon